Como falar de saúde e obesidade ao mesmo tempo?

A nutricionista Amely Degraf nos explica um pouco mais sobre o conceito de saúde e obesidade ao mesmo tempo.

Saúde e obesidade ao mesmo tempo, tem como? Podemos começar a esclarecer o conceito complexo de saúde “De acordo com Organização mundial de saúde, – saúde é um estado de completo bem estar físico, mental e social e não somente ausência de doenças. “

Com o conceito, podemos compreender que saúde é muito mais que “magro” e “gordo”. Estar saudável passa pelo peso corporal, mas ultrapassa ele. O peso é sim um parâmetro de controle e manutenção da saúde, já que pode se ter mais saúde ou menos de acordo como os números da balança. E inúmeras pesquisas utilizam-no como parâmetro para direcionamento de ações voltadas para saúde da população.

saúde e obesidade ao mesmo tempo

Por isso, muitos profissionais se perguntam se ao valorizar os modelos plus size estaríamos fazendo com o que as estatísticas de obesidade aumentassem? E será que apenas a valorização da auto estima de homens e mulheres “acima do peso” seria suficiente  para trazer saúde?

A saúde emocional tem relação muito intima com a saúde geral. Inclusive, em 2016 uma pesquisa da universidade do Estado da Califórnia, mostrou que quando mulheres assumiam e se sentiam socialmente aceitas, diminuíam a motivação para engajar em comportamentos saudáveis como, por exemplo, comer mais alimentos saudáveis.  Em outro extremo uma pesquisa que acabou de ser publicada, no “Journal of Eating Disorders”  mostrou que se os corpos de manequins femininos fossem pessoas verdadeiras, seriam “medicamente não saudáveis”. Que infelizmente é o padrão que dita a moda.

Vocês já devem ter vivido essa experiência: entrar em uma loja e experimentar vários números de roupa, até tidos como plus size, como o 46 e 48 e não te servem. E o por quê? Primeiro não existe padronização de marcas, 46 de uma marca é diferente da outra. Segundo por que a moda não é feita para corpos verdadeiros, com curvas. E terceiro existe uma demonização da gordura. Um ótimo exemplo: uma mulher com 18% a 25% de gordura é considerada saudável, mas quando é vista perante os olhos da moda ou do mundo fitness, considerada gordinha, principalmente se as zonas de gordura forem abdominais.

E o que precisamos refletir em tudo isso, é que sim, o peso é um parâmetro de saúde. Mas ele não é único. Podemos encontrar pacientes magros muito doentes e pacientes acima do peso saudáveis. E ao contrário é verdade. Isso pode parecer um paradoxo? Sim principalmente quando pensarmos nas diversidades de biótipos corporais que temos no mundo.

Será que precisamos ir em busca de corpos perfeitos? Melhor perder peso de qualquer forma (mesmo ficando doente) ou precisamos apenas cuidar da saúde?

Duas coisas podemos concluir:

  1. Conceitos de magro e gordo devem ser revistos por todos nós

  2. Saúde nutricional não está apenas relacionado com peso.

Mas esse é o assunto do nosso próximo encontro! Até lá !