Orquidário Binot em Petrópolis: o mais antigo do Brasil

Estive pela primeira vez em um orquidário. Confesso que era uma vontade antiga ver tantas flores juntas e tanta diversidade de espécies. E tive o prazer de ir ao Orquidário Binot em Petrópolis, o mais antigo do Brasil.

A sensação é indescritível e o lugar é incrível. Sempre haverá uma florada disponível pra te encantar. Afinal, hoje, há centenas de espécies diferentes expostas à visitação.

Orquidário Binot em Petrópolis é o mais antigo do Brasil

A história começa quando Jean Baptiste Binot, paisagista de profissão, decide abandonar a Europa e escolhe o Rio de Janeiro como destino.

Em 1845, em Petrópolis, estabeleceu-se como jardineiro-horticultor, vendendo plantas e árvores frutíferas. Foi, então, encarregado pelo Imperador Dom Pedro II,  em 1854, para projetar e executar os jardins do Palácio Imperial de verão, em Petrópolis (hoje Museu Imperial).

Como prêmio pelo trabalho executado no Palácio, o Imperador lhe deu terras no bairro do Retiro para cultivar. Seu filho, Pedro Maria Binot, estudou horticultura na Bélgica e, depois de formado, retornou ao Brasil, onde pôs-se a coletar orquídeas, plantas tropicais e sementes de palmeiras destinadas à exportação.

Orquidário Binot em Petrópolis é considerado o mais antigo do BrasilPedro partiu em 1870 com seu primeiro lote de plantas para a Bélgica. Era fundado, assim, o Établissement P. M. Binot. Pedro viria a se casar com uma prima viúva que já tinha um filho, de nome Georges H. A. Verboonen.

No fim de sua vida , iniciou a construção das primeiras estufas e foi o responsável pela introdução no Brasil de espécies sul-americanas de Cattleya, como a C. trianaei , C. percivaliana e C. mossiae. P. M. Binot faleceu em 1911.

Seu filho, Georges H. A. Verboonen foi estagiar na Europa. Por ocasião do falecimento de seu paiBinot , retornou ao Brasil e assumiu a direção do Orquidário.

Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial as exportações foram suspensas. O Établissement P. M. Binot sofreu uma radical transformação , passando a ter como principal objetivo o fornecimento de flores para as lojas do Rio de Janeiro. Pouco antes da Segunda Guerra Mundial foram importados os primeiros híbridos modernos, que encantavam a todos nas primeiras exposições realizadas em São Paulo.

Em 1945, o nome da empresa foi mudado para Orquidário Binot Ltda. e dedicou-se ainda mais à produção de flores, atendendo uma demanda crescente do comércio especializado.

Desde 1940 , o filho de Georges, Jorge L. J. Verboonen, aos poucos foi aprendendo todos os segredos do cultivo. Georges veio a falecer em 1954, quando, então, Jorge Verboonen assumiu a direção do Orquidário.

Nesta mesma época, Rolf Altenburg , fundador do Orquidário Floralia tornou-se sócio do empreendimento. A partir daí iniciou-se um programa de ampliação das instalações existentes e o cultivo de uma nova geração de híbridos de Cattleyas.  Este ciclo perdurou até 1994, quando as  atividades de exportação foram suspensas.

Orquidário Binot em Petrópolis é considerado o orquidário mais antigo do BrasilO filho de Jorge, Maurício F. Verboonen, engenheiro agrônomo de formação, integrado ao Orquidário desde 1979, com muita dedicação, deu um novo impulso às atividades. As instalações foram remodeladas e foram adotados novos conceitos de irrigação, além de pesquisa para a adoção de novas opções de substratos, principalmente pelo xaxim encontrar-se em extinção. Esse trabalho foi motivo de orgulho para seu pai.

Em 2000 Jorge L. J. Verboonen veio a falecer e Mauricio então assumiu a direção do Orquidário Binot, onde permanece. Maurício é a quinta geração da família que trabalha com as orquídeas.

Muitas destas plantas são resistentes e podem ser levadas pra casa em uma viagem de horas, sem prejuízo da sua vida. Claro que não se deve trancá-la em carro fechado e no sol, né! Existem três espaços. Um com várias pequenas mudas. Outro com mudas floridas e a loja. Os vendedores são atenciosos e explicam bem qual a melhor opção e os cuidados básicos. O local não é uma atração que esteja dentro do roteiro turístico de Petrópolis normalmente, mas torna-se uma ótima opção pela beleza das plantas e pelas dimensões da área.

O local é aberto a visitação pública com entrada franca e funciona de segunda a sábado das 07:00 as 17:00 e as plantas podem ser compradas com pagamento também em cartão, com preços razoáveis.

Endereço: R. Fernandes Viêira, 390 – Retiro, Petrópolis-RJ. Telefone: (24) 2248-5665

Vale a pena conferir.

Galeria de fotos do Orquidário Binot

Eu separei também onde se hospedar em Petrópolis, uma lista dos melhores hotéis, pra vocês poderem visitar essa cidade fantástica.

Além de aproveitar para visitar o Orquidário Binot em Petrópolis, você também vai poder curtir o friozinho da Serra de Petrópolis pra fazer outros passeios lindos, como os museus, trilhas, cachoeiras, sem contar no Centro antigo de Petrópolis, com todos os casarões da época de D. Pedro.

Olha algumas dicas aqui:

Museu Imperial e Palácio Quitandinha. O Museu Imperial com todas as suas jóias da época do Brasil Imperial, todo cuidado, e inclusive, a Coroa Imperial de Dom Pedro II. O Palácio Quitandinha, logo na entrada da cidade, com o seu amplo jardim ao ar livre com lago para lazer, interior impecável, teatro fabuloso.

Casa de Santos Dumont e Museu de Cera em Petrópolis. A casa onde Santos Dumont, o Pai da Aviação, usava como residência de verão, foi transformada num fabuloso museu e ainda conserva todas as manias de nosso querido Alberto Santos Dumont. O Museu de Cera apresenta diversas figuras históricas da humanidade, em cópias fiéis dos homenageados. Como o próprio Santos Dumont, os Papas João Paulo II e Francisco, Marilyn Monroe, Michael Jackson, Elvis Presley, Ayrton Senna e outros.

Vale do Amor fica na região da Fazenda Inglesa, em Petrópolis, e é um lugar pouco conhecido do público, mas foi criado para ser um santuário de todas as religiões e para quem procura renovar as energias do dia-a-dia. Você vai se encantar!

Dicas de compras na Rua Teresa, guia das melhores lojas plus size de Petrópolis, selecionei algumas lojas com as melhores dicas pra você poder aproveitar bastante o seu passeio por Petrópolis e renovar seu guarda-roupa.

Além desses passeios acima, existem diversos outros que você tem a possibilidade de conhecer, como o charmoso e famoso distrito de Itaipava, Secretário, a infinidade de cachoeiras também.

A cultura alemã também é muito forte e presente na cidade, devido a imigração dos colonos alemães a partir de 1822. Com isso, existem diversos locais que preservam essa cultura também, além das famosas festas, Bauernfest, Oktoberfest e outras.

Como podem perceber, Petrópolis é um lugar para ir e ficar pelo menos 7 dias (no mínimo) passeando e se encantando. E ainda tem a facilidade de estar próximo à capital do Estado, a cidade do Rio de Janeiro. Dos aeroportos, Petrópolis fica a 64km do Aeroporto do Galeão e 75km do Aeroporto Santos Dumont. Entre as rodoviárias, do Rio e de Petrópolis, localizada no bairro Bingen, na outra ponta de acesso da Cidade Imperial, a distância é de 60km aproximadamente.

Seja pro passeio de compras na Rua Teresa, um passeio romântico ou lazer, e até mesmo de negócios, essa Petrópolis vai encantar você.

Beijoooo e até a próxima!