Saúde para todos!

Parece que o titulo da nossa postagem nos lembra alguma propaganda política ou de alguma marca de medicamento: “saúde para todos os corpos.” Vamos sim falar de saúde e de sociedade, mas sempre levando para a nossa discussão que saúde é para todas as pessoas, saúde esta em todas as pessoas e em todos os corpos.

A  última fez que fui a minha ginecologista pesando 81 kilos, a grande preocupação dela era com minha dieta, meu peso e minha saúde. Eu disse a ela que era extremamente saudável, fazia exercícios físicos todos os dias, tinha uma alimentação muito saudável e que eu era endomorfa, que tinha aquele corpinho tipo baixa e fortinha. Ela fez meu IMC e me mostrou que meu peso ideal era 61 kilos. Pediu exames e no retorno observou dados laboratoriais alarmantes, sim por que eu parecia gorda mas tinha triglicérides 40, por exemplo.

Essa é minha historia e de muitas mulheres e homens  que passam episódios como este já que a relação peso – saúde é quase uma regra na cabeça das pessoas.  E é obvio que ela existe, e os dados estão ai para nos mostrar que o aumento do peso está relacionado a processos inflamatórios, doenças crônicas não transmissíveis e ortopédicas.

Mas o que estamos querendo discutir, refletir, informar e desmitificar é que nem todas as pessoas “acima do peso” “plussize” são doentes ou são referência de mal cuidado com a saúde e ponto final. E esse movimento para saúde para todos os corpos, está em todo mundo.

Sabia que existem associações e organizações que trabalham com esse processo educativo? Sim um processo de educar toda a sociedade de que o uso do peso, tamanho ou IMC como parâmetro de medida de saúde, precisa ser revisto com urgência.

Outro aspecto muito importante de tudo isso é que a sociedade acredita que obesidade é uma escolha pessoal. A pessoa escolheu comer demais, fazer exercícios de menos, ser preguiçosa demais, não ter auto estima e ainda não se amar. São assim as postagens motivacionais de milhares de nutricionistas, personal trainners e famosas do emagrecimento. Inclusive eu, como nutricionista, fiz um realinhamento no meu jeito de atender, compreender e prescrever para pacientes obesos, considerando a sua vida como parâmetro de mudança e não o contrário.

O que precisamos é compreender que o ser humano que está acima do peso, precisa antes de emagrecer, fazendo loucuras com sua saúde, precisa se reconhecer como ser autônomo e cuidador da sua saúde.

O que precisamos fazer com urgência é conversar em todos os âmbitos,  que os indivíduos devem começar a ter práticas de saúde regulares e equilibradas, sem se preocupar com o peso.

Preocupando-se com a melhora do quadro geral de saúde e com a qualidade de vida.

Sugiro para você mulher ou homem plus size, alguns passos para encontrar essas praticas sustentáveis:

  • Aceite seu biótipo, sua forma do corpo e sua genética. Algumas coisas não mudarão.

  • Melhore sua saúde de forma geral, cuidando de pequenas atitudes como comer mais saudável, com flexibilidade e respeito as suas limitações. Trocar dietas ou qualquer tipo de “milagre” do emagrecimento  por  mudanças efetivas e escalonadas.

  • Procure atividades físicas prazerosas e evoluindo para um estilo de vida sustentável e rotineiro.

  • Cuidado Respeitoso  respeite a si mesmo, se necessário for ate faça terapia, para se conhecer e se respeitar.

  • Não se compare, comparações são burras e maltratam você.

  • Converse em seus grupos sobre o assunto para desmitificar o tema e abrir a mente de toda a sociedade sobre que saúde é muito mais que peso corporal.

 

Amely Degraf Terra – Nutricionista